fbpx
sexta-feira, 12 abril 2024

São Roque de Minas realiza festival e concurso do queijo Canastra



Imagem: Restaurante Tordesilhas – Festival do queijo da Serra da Canastra

São Roque de Minas realiza, entre os dias 9 e 11 de junho, o 3º Festival do Queijo Canastra. O evento, promovido pela Secretaria Municipal de Esportes, Cultura, Lazer, Turismo, Meio Ambiente e Agricultura terá a 24ª edição do Concurso do Queijo Minas Artesanal Canastra de São Roque, no dia 10, e tem como objetivo promover a cultura e a gastronomia do município.

O festival também vai contar com shows do 14 Bis, Vi-Voz e Banda, Banda Texas Radio e Gabriel Ferrari. Segundo a prefeitura, a estimativa de público é de 2 mil pessoas.

O evento também terá espaço para degustação de cerveja artesanal e churrasco feito por equipe de profissionais premiados internacionalmente. De acordo o chefe de Gabinete da Prefeitura de São Roque de Minas, Valmório Lima, foram investidos R$ 30,5 mil na promoção do evento. “Com exceção do 14 Bis que foi pago pelo patrocínio do Sicredi e Sítio Recanto do Queijo”, afirmou.

O 24º concurso do Queijo Minas Artesanal Canastra é uma realização em parceria da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater) com a prefeitura do município e a Diretoria de Agricultura. De acordo com Valmório, os produtores que forem participar do concurso devem ser cadastrados no Serviço de Inspeção Municipal (SIM).

“Em se tratando do Queijo Canastra, premiado mundialmente, hoje ele é um de nossos principais atrativos turísticos e a prefeitura tem como objetivo apoiar as ações e divulgação de seus produtos, além de ajudar na qualificação desses produtores para a produção de queijos de qualidade por meio do trabalho realizado pela Diretoria de Agricultura e das veterinárias do Consórcio Cicanastra, que semanalmente prestam serviços a estes produtores”, disse.

MG BUSCA RECONHECIMENTO DE QUEIJO DO JEQUITINHONHA

BELO HORIZONTE – Nesta terça-feira, 16, foi comemorado o Dia dos Queijos Artesanais de Minas Gerais com a inclusão de mais um membro na família dos queijos mineiros, o Queijo Cozido, produzido no Vale de Jequitinhonha.

De acordo com informações da Emater, o Governo do Estado trabalha para que o reconhecimento do Queijo Cozido, ainda não legitimado por nenhuma instância governamental no Brasil. Com modo de fazer tradicional e características sensoriais próprias, o produto, quando formalmente identificado, deve agregar valor e fomentar o comércio legal em outras regiões, fora do Nordeste mineiro.

Os trabalhos para a identificação do Queijo Cozido começaram com uma visita de equipes da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa) e da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater-MG) aos produtores dos municípios de Rubim, Almenara, Salinas e Araçuaí, em março deste ano. Na oportunidade, foram discutidos possibilidades, desafios e potencialidades para o alimento típico jequitinhonhense.  

“O reconhecimento, a promoção e a valorização desse queijo é fundamental para incentivar a produção sustentável, o consumo consciente e o respeito ao meio ambiente. Assim, contribuímos para gerar renda, auxiliar na diminuição das desigualdades sociais e erradicar a pobreza, problemas históricos na região, de forma alinhada com os objetivos de desenvolvimento promovidos pela ONU”, reflete o superintendente de Abastecimento e Cooperativismo da Seapa, Gilson de Assis Sales. 

Atualmente, o grupo atua na elaboração de uma nota técnica, que culminará na publicação do reconhecimento em um futuro breve. A Emater-MG estima que aproximadamente 450 famílias produzam o Queijo Cozido, em 24 municípios do Vale do Jequitinhonha. (Clic Folha)

Fonte: https://folharegionaljornal.com.br/

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Posso ajudar?