fbpx
quinta-feira, 30 maio 2024

“Produtores de água” estão sendo pagos para preservar nascentes



Escrito por Compre Rural

Produtores rurais do interior de Minas Gerais estão recebendo dinheiro para preservar nascentes e até a recuperar fontes de água que secaram

Em Itabirito, no interior de Minas Gerais, produtores rurais que preservam o solo e as águas na Bacia do São Francisco estão ganhando dinheiro por isso. O Programa Municipal de Pagamentos por Serviços Ambientais tem como objetivo proteger as nascentes e a biodiversidade no município, um dos responsáveis pela produção de água para a Região Metropolitana de Belo Horizonte.

O Pagamento por Serviços Ambientais (PSA) é um mecanismo financeiro que paga o proprietário rural pela sua prestação de serviços ambientais à sociedade. Quando a finalidade da proteção é um maior volume de água na nascente, o PSA reconhece o proprietário pela proteção, restauração de ecossistemas naturais e conservação do solo em áreas estratégicas para produção de água dentro das propriedades rurais. Ele é considerado um “produtor de água”.

Vale destacar que a região em que se encontra o município de Itabirito – o Alto Rio das Velhas – é considerada extremamente estratégica para a segurança hídrica da Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH). Deste território sai a água que abastece quase metade dos 5 milhões de habitantes da Grande BH.

O produtor rural Ailton Faria tem uma fazenda de gado de corte e de leite. Agora, a renda também vem da “produção de água”. Todo ano, são R$ 240 por hectare preservado.

“O produtor fica preocupado a partir do momento que ele cede área de preservação, se ele vai perder essa área. Mas, desde o início, eu vi que seria de grande benefício para mim e que ia me ajudar ainda mais na preservação das nascentes que eu tenho”, diz o pecuarista.

Ele conta que em sua propriedade existem ao menos três nascentes. O produtor é um dos dez que participam do programa em Itabirito.

“Cada propriedade que vai aderindo, a gente vai ter maior oferta para a própria região. Nós vamos fazer com que isso reflita na Bacia do rio Itabirito e na bacia do Rio das Velhas, garantindo maior segurança hídrica para a Região Metropolitana”, explica Ronald de Carvalho Guerra, do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio das Velha.

Ao todo, 51 municípios fazem parte da Bacia Hidrográfica do Rio das Velhas e Itabirito foi o primeiro a aderir ao programa. O produtor interessado em aderir ao programa deve procurar a Secretaria de Meio Ambiente da cidade.

Veja como funciona o processo:

  • equipe visita propriedade;
  • levantamento aponta áreas degradadas e que precisam de reflorestamento;
  • em caso de nascente seca, são plantadas mudas e feito o cercamento;
  • as árvores ajudam na infiltração de água no solo;
  • a cerca evita que animais de grande porte pisoteiem a nascente, evitando a compactação do solo.

Fonte: https://www.comprerural.com

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Posso ajudar?