fbpx
quinta-feira, 30 maio 2024

Maior queijo Canastra do mundo será vendido, em pedaços, durante festival gastronômico na Savassi; saiba como



Foto: O Queijo Canastra Imperial visitou a redação da Itatiaia e participou do programa Rádio Vivo, apresentado por Eduardo Costa e Fernanda Viegas

Iguaria que consumiu 350 litros de leite e dez meses de maturação, será exibida e comercializada no Festival gastronômico e cultural Made in Minas Gerais

A 4ª edição do Made in Minas Gerais – evento com foco na gastronomia e na cultura mineiras, que acontece no próximo domingo (5), na Praça da Savassi, terá uma novidade: um espaço dedicado ao Queijo Minas Artesanal, onde será partido o “maior queijo canastra já produzido no mundo”, o Canastra Imperial II. A peça foi produzida na fazenda do Ivair – pelo premiado casal Ivair e Lúcia – pesa 36 kg e será vendida em cunhas (pedaços) durante o evento.

A ideia de fazer o queijão partiu do produtor cultural Jordane Macedo. Lúcia conta que estava em casa quando Jordane ligou fazendo a proposta. “Ele sempre tem essas ideias meio malucas (rsrs) que, em geral, dão certo. Eu e o Ivair topamos na hora, movidos pela curiosidade de fazer, de saber como vai ficar e o entender o que muda na técnica num queijo desse tamanho.” Desafio aceito, o próprio Jordane foi quem improvisou a forma do queijo, cortando um tubo de PVC de 50 centímetros de diâmetro. Deu certo!

Ivair que, ao lado de sua esposa e sócia Lúcia, fez o queijo Minas Imperial

“Não basta ser grande, tem que ser gostoso”

A receita é a mesma do queijo Canastra comum: leite cru, coalho, pingo e sal. Para o Canastra Imperial de 36 kg, foram consumidos 350 litros de leite e dez meses de maturação. A diferença no modo de fazer entre ele e os queijos de tamanhos comuns, segundo Lúcia, é apenas se mexe mais ou menos a massa, no comportamento dessa e no tempo da maturação. “Sim, porque não basta ser grande, tem que ser gostoso”, disse a produtora, bem humorada.

O produtor cultural Jordane Macedo é o idealizado do Made in Minas Gerais

Guinness Book vai ter que esperar

Jordane planeja fazer a inscrição para o processo de verificação no Livro dos Recordes, mas a participação oficial ainda está em fase de captação de recursos (a taxa de inscrição custa R$ 126 mil). Enquanto isso, o produtor, apaixonado pela cultura mineira, segue divulgando os chamados QMAs (Queijo Minas Artesanal). Ele conta que um comprador ofereceu R$ 10 mil pelo Canastra Imperial, mas decidiu vendê lo mesmo aos pedaços (o que deverá render cerca de R$ 5 mil) para que mais pessoas possam conhecer a iguaria.

Segundo ele, agora que o casal Lúcia e Ivair ‘pegaram’ o know how de fazer queijos gigantes, a ideia é fazer, pelo menos, três por ano: um para ser vendido em pedaços em eventos gastronômicos; outro para quem quiser comprar e um terceiro para virar “panela” para fazer o tradicional ‘macarrão no queijo’, também em eventos gastronômicos.

Próximo desafio será queijo de 60 Kg

E o próximo queijão já tem data e local: será feito de 16 a 19 de maio no Festival do Queijo de Itamonte, na Serra da Mantiqueira onde Jordane planeja fazer um queijo de 60 quilos, utilizando leite de vários produtores locais.

Festival terá também atrações musicais

Se quiser provar o Queijo Minas Imperial, não perca a programação do Made in Minas que será das 10h às 19h. Estão previstas atrações musicais, artísticas e gastronômicas , espaço kids e ações sociais. O tema será a Viola Caipira, com apresentações de grandes expoentes desse instrumento como Chico Lobo, Renato Caetano, Letícia Leal, Orquestra Mineira de Viola Caipira, e a realização do inédito Concurso de Viola Caipira.

Entre os chefs confirmados, estão: Marcela Azevedo do bistrô Alquimia dos Quintais com participação do Quilombo do Ribeirão, representando o sul de Minas; o chef Rodrigo Costa e o restaurante “Velho Chico”, de Pium-I, vem pelo Oeste; a chef Giovanna Bruno, do Restaurante Entreposto Relíquia, é representante do Norte; do Leste, a chef Carol Biasi do restaurante Jotapê e do Sul, o Empório Bistrô 77, de Itabirito.

Confira outras atrações:

  • Estarão presentes clássicos da culinária mineira como o Restaurante Dona Lucinha, Maria das Tranças e o Casa Cheia, do Mercado Central.
  • Vários pequenos produtores do estado, com destaque para a um estande exclusivo da cachaça de Salinas, do Norte de Minas.
  • A Krug Bier, marca oficial de cerveja do Made in Minas Gerais, apresentará mais um rótulo especial exclusivamente para o evento.
  • Projeto “Trem num Trem” que viabiliza a participação de cozinheiros que não teriam condições de arcar com um equipamento para começar a empreender. Nesta edição, o convidado será o cozinheiro Vilmar Oliveira, de Pium-I, que fará pipoca de torresmo.
  • Lançamento da música “O que é produzido na roça com felicidade, alimenta a cultura que vem para a cidade”, de autoria de Jordane Macedo, pela Orquestra Mineira de Violas e Pedro das Gerais.
  • Troféu Dona Lucinha. Por meio de votação popular, será eleito o melhor prato evento.

O evento tem acesso gratuito, mediante retirada de ingressos pelo Sympla e doação espontânea de alimentos para o Instituto Adotar. Vale reforçar que o evento também é pet friendly, com espaço assinado pelos projetos Pet&Friends e Nosso Zeca.

Confira a programação completa no Instagram do projeto: https://www.instagram.com/madeinminasgerais

MADE IN MINAS GERAIS

Data: 05 de maio – das 10h às 19h
Local: Praça da Savassi
Ingressos gratuitos retirados pelo Sympla

Site: https://www.madeinminasgerais.com.br

Instagram: @madeinminasgerais

Fonte: Itatiaia

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Posso ajudar?