fbpx
quinta-feira, 30 maio 2024

As cidades da região da Serra da Canastra



(Por Arnaldo Silva) O Parque Nacional da Serra da Canastra é uma área formada por 200 mil hectares, localizada no Sudoeste de Minas Gerais. Foi criado em 1972 para preservar as nascentes do Rio São Francisco.

No entorno da área da Canastra estão 7 municípios: Capitólio, Vargem Bonita, São João Batista do Glória, Piumhi, Delfinópolis, Sacramento e São Roque de Minas, considerada a “capital” da Serra da Canastra. (foto acima e abaixo do guia Pedro Beraldo/@ecotrilhasdacanastra)

Essas cidades em torno da área do Parque da Canastra formam uma região geográfica e turística. É diferente da região queijeira Canastra, formada pelas cidades de Medeiros, Vargem Bonita, Tapirai, Delfinópolis, Bambuí, Piumhi e São Roque de Minas. Cidades que produzem queijos Canastra com as mesmas características. São duas regiões diferentes.

O acesso à parte alta da Serra da Canastra, onde está a nascente do Rio São Francisco é por São Roque de Minas. Para conhecer a parte baixa, onde está a Cachoeira da Cascadanta, o acesso é pela estrada de Vargem Bonita. O acesso ao porque pode ser feito ainda por São João Batista do Glória e Sacramento. (na foto acima de John Brandão/@fotografoaventureiro, a Serra da Canastra e abaixo, a Cachoeira da Cascadanta)

Como as cidades que formam a região são turísticas, um tour pelas cachoeiras, paraísos naturais, lagos, cascatas, montanhas e cânions, é uma ótima opção de passeio e diversão para os amantes da natureza e de esportes radicais. Sem contar os apreciadores da autêntica cozinha mineira e do queijo Canastra, feitos artesanalmente na região como há mais de 200 anos. (na foto abaixo queijos Canastra legítimo, da queijaria Queijo Dinho/Divulgação, de Piumhi MG)

Vamos conhecer as sete cidades da região da Serra da Canastra e seus principais atrativos turísticos:

São Roque de Minas


São Roque de Minas está a 320 km de Belo Horizonte, no Oeste de Minas e conta com pouco mais de 7 mil habitantes. Município de terras férteis, água de qualidade e abundante, é considerada a porta de entrada para a Serra da Canastra.

São Roque de Minas é uma pequena e atraente cidade tipicamente mineira. Tranquila, pacata, tradicional, com ótima estrutura para receber turistas, conta com uma ótima rede gastronômica e hoteleira em sua área urbana e principalmente rural, com várias pousadas e queijarias pela zona rural do município. (na foto acima de Elpídio Justino de Andrade a Matriz de São Roque de Minas e abaixo, de Luís Leite, o Curral de Pedras, feito por escravos)

Conta ainda com guias especializados, que acompanham os turistas pelos pontos arquitetônicos da cidade e seus povoados, como São José do Barreiro, bem como às fazendas e em todo o Parque da Serra da Canastra.

Para conhecer a Nascente do Rio São Francisco, o acesso é por São Roque de Minas.

Vargem Bonita

Vargem Bonita é a primeira cidade mineira banhada pelo Rio São Francisco. A cidade conta com pouco mais de 2 mil habitantes e está a 322 km de Belo Horizonte no Oeste de Minas.

Cidade típica mineira, seu povo é bem simples, religioso, acolhedor e hospitaleiro. (fotografia acima de Nacip Gômez)         

Por ser passagem obrigatória para a parte baixa da Serra da Canastra e Cachoeira da Cascadanta, a cidade é uma das mais visitadas na região.         

Sua gastronomia é riquíssima, com destaque para os pratos típicos da Canastra e do queijo, encontrados na cidade e nas queijarias do município.

Piumhi

“Pium” significa mosquito e o sufixo “i”, pequeno, formam a palavra tupi “Piumhi”. O “eme”, na língua portuguesa é usado antes do “p e b”, mas nesse caso é uma exceção à regra, por ser a junção de duas palavras em sua forma original. Para evitar ortografias diversas como Piunhi, Piunhy ou Piumhy, e preservar a história do nome original, foi oficializado através de lei a escrita dessa forma, Piumhi, aprovado na Assembleia Legislativa de Minas de Gerais.

Quem nasce em Piumhi é piumhiense. Seu povo tem fama de acolhedor, hospitaleiro, além de receberem os visitantes de forma acalorada e carinhosa. Inclusive, a cidade é conhecida como a “cidade carinho”. (na foto acima de Nilza Leonel, vista parcial de Piumhi e abaixo de Nacip Gômez)

Piumhi conta pouco mais de 35 mil habitantes e está a 265 km distante de Belo Horizonte, no Oeste de Minas, a 16 km de Capitólio, a 25 km de Pimenta e 60 km de São Roque de Minas. O acesso a Piumhi é pela MG-50.

Piumhi oferece uma boa qualidade de vida a seus moradores, estando entre os 50 melhores municípios mineiras nesse quesito.

Cidade plana, ruas largas, arborizadas, praças bem cuidadas e charmosas, como a Praça da Matriz, a Praça Guia Lopes e a Praça do Rosário. Conta ainda com um mirante, conhecido como Mirante da Cruz do Monte, com vista panorâmica de toda a cidade, além de belíssimas construções ecléticas, fazendas produtoras de café e de queijo Canastra, belíssimas serras como as serras da Pimenta, do Andaime e do Cromo e cachoeiras paradisíacas como cachoeiras como a Cachoeira da Belinha.

Delfinópolis 

Distante 430 km de Belo Horizonte, no Sudoeste Mineiro, Delfinópolis conta com pouco mais de 7 mil habitantes. Cidade tranquila, com boa estrutura urbana, com economia agrícola sólida, com destaque para a produção de milho, café, cana-de-açúcar, banana, arroz, feijão, soja, pecuária de leite e corte, além da suinocultura.

Por estar na região da Serra da Canastra e suas belezas naturais, o município é um dos principais pontos de turismo ecológico de Minas Gerais com destaque para o Vão da Babilônia, o Vale da Gurita, o conjunto de cachoeiras formadas pelo Complexo do Claro, além de rotas, trilhas, paisagens, nascentes, matas nativas e montanhas espetaculares. (fotografia acima de Nacip Gomêz a Praça da Matriz da cidade e abaixo, os verdes campos do Vale da Gurita)

Por suas nascentes, picos, matas, paisagens naturais, fauna e flora riquíssima, além de 150 cachoeiras, Delfinópolis é conhecida por “Paraíso Ecológico”.

Faz parte do Circuito Turístico Nascente das Gerais e conta com um ótimas pousadas e restaurantes, além de um grande número de guias de turismo, equipados e preparados para acompanhar os visitantes, levando-os a uma aventura pelas trilhas e belezas da Serra da Canastra.

São João Batista do Glória

A 320 km de Belo Horizonte e a 62 km de Capitólio e com pouco mais de 7.500 habitantes, São João Batista do Glória, no Sudoeste de Minas, é uma das referências em qualidade de vida em Minas Gerais.

Chamada por seus moradores simplesmente de “Glória”, o município conta com uma ampla e sofisticada rede hoteleira, guia de turismo e verdadeiros paraísos naturais como o Paraíso Perdido, trilhas. (na foto acima de Amauri Lima, a Matriz de São João Batista do Glória e na foto abaixo do Luís Leite, a Cachoeira da Maria Augusta))

Além disso, conta com cerca 130 cachoeiras, com destaque para a Cachoeira da Maria Augusta, piscinas naturais, riachos, lagoas, vales como o Vale da Babilônia, montanhas e serras impressionantes, dentre outras tantas belezas naturais.         

Glória é o lugar ideal para descanso e convívio com a natureza, seja em grupos, família, em casal ou mesmo, individual. Todas essas belezas podem ser aproveitadas com acompanhamento de guias especializados, encontrados na cidade, que conta ainda com um grande número de pousadas, hotéis e restaurantes com ótimas estruturas, tanto em sua área urbana, quanto na área rural.

Sacramento

Localizada no Triângulo Mineiro, distante 480 km de Belo Horizonte, Sacramento é uma das portas de entrada para O Parque Nacional da Serra da Canastra.

Com cerca de 27 mil habitantes, o município é um dos grandes produtores de café em Minas Gerais, além de se destacar na produção do queijo Canastra. (na foto acima de Arnaldo Silva, vista parcial de Sacramento e abaixo, de Luís Leite, Desemboque)

Seu principal distrito, Desemboque, foi um dos berços da formação do Triângulo Mineiro e ocupação do Estado de Goiás, no século XVIII, durante a busca de ouro na região do Sertão da Farinha Podre, como era chamado naquela época.     

No auge da exploração do ouro na região, Desemboque tinha milhares de moradores e um comércio ativo, ao contrário de hoje, com poucos moradores, que se conta no dedo. Dos seus áureas tempos, restou a história, seus casarões coloniais, a Igreja de Nossa Senhora do Desterro e do Rosário. É hoje um dos atrativos históricos de Sacramento e região.         

Além disso, a cidade é bem estruturada, conta com belíssimas construções coloniais e ecléticas do século XX e atrativos naturais como o Rio Grande, cachoeiras paradisíacas, o lago da Hidrelétrica de Jaguará e a Gruta dos Palhares, a maior caverna de arenito das Américas, localizada a 12 km da cidade, num local bem estruturado e organizado, além aprazível, com restaurante e lanchonete, fontes, quiosques e quadras de esportes.

Capitólio

Com pouco mais de 8.600 habitantes, distante 276 km de Belo Horizonte e a 80 km da entrada do Parque da Canastra, Capitólio é um dos maiores pontos turísticos de Minas Gerais e desejo de imensa maioria de amantes da natureza e de aventuras. O acesso principal ao município se dá pela MG-050.

Uma das 34 cidades banhadas pelo imenso Lago de Furnas que conta com 1.440 km² ao todo. Em linha reta, é o equivalente à metade do litoral brasileiro. (na foto acima de Elpídio Justino de Andrade, vista parcial de Capitólio)         

Boa parte da extensão territorial de Capitólio é ocupada pelas águas do Lago de Furnas. Por isso a cidade é conhecida “rainha dos lagos” e suas belezas naturais, rodeadas pelas águas cristalinas e esmeraldas de Furnas, faz de Capitólio um dos mais belos e atraentes municípios brasileiros. Um verdadeiro cenário de cinema.         

Cidade pequena, mas muito bem estruturada para o turismo, conta com excelentes pousadas, restaurantes e quiosques com comidas típicas, principalmente pratos feitos com peixes de água doce.         

A cidade possui ainda uma ótima estrutura urbana, com destaque para Matriz da cidade, a praia artificial, formada por um calçadão, quadras, palco para shows, bares, além do nobre balneário Escarpas do Lago.

O Lago de Furnas, a Cachoeira da Lagoa Azul, o Rio Turvo, a Trilha do Sol, a Gruta do Tucano, o Morro do Chapéu a 1.293 metros de altitude, o Parque Ecológico Cascata, o Recanto dos Vikings e o Paraíso Achado e seus imensos cânions, são os maiores atrativos do município. Boa parte desses lugares, podem ser apreciados com passeios de lanchas, escunas ou chalanas. Em outros, em veículos 4×4, disponíveis pelos guias de turismo encontrados com facilidade no município. (na foto acima do Guia @percio_passeioscapitolio, a Cachoeira do Beija Flor e abaixo de Pedro Beraldo, a nascente do Rio São Francisco em São Roque de Minas)

As 7 cidades da Região da Serra da Canastra, proporciona passeios incríveis, emocionantes e inesquecíveis!

Fonte: Conheça Minas

Um comentário

  1. ROSANGELA AGUIAR LOPES

    Tudo maravilhoso, tenho vontade de morar em MG. E essas cidades, são apaixonantes.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

× Posso ajudar?