segunda-feira, 23 janeiro 2017
Inicial / Atrações / Reserva Natural da Cachoeira do Cerradão

Reserva Natural da Cachoeira do Cerradão



Acesse

casadoalecrim2

www.casadoalecrim.com

A área da cachoeira do Cerradão, em São Roque de Minas, foi transformada em RPPNReserva Particular do Patrimônio Natural em agosto de 2001 por ato do Ibama – Instituto do Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis. É a primeira reserva do gênero na região da serra que se encontra aberta ao ecoturismo, com atividades de caminhada educação ambiental.

O imóvel, de 60 hectares, tem uma portaria com serviços de recepção, espera e sanitários. As trilhas que levam à cachoeira têm sinalização interpretativa – plaquinhas de madeira identificam as principais espécies da flora. A visita pode ser feita diariamente das 8 às 17 horas (9 às 18 horas no horário de verão).

A cachoeira do Cerradão é uma das mais altas da serra: são 202 metros em 3 lances. A área tem nascentes, cerrado, campos e mata ciliar bastante preservados.

Galeria de Fotos

As visitas são controladas. Os carros ficam do lado de fora, é proibido entrar com bebidas alcoólicas, churrasqueiras e material de pesca.

Foi estabelecido também um limite de 60 visitantes por período. Toda vez que esse número é atingido, os turistas que chegam têm de esperar na portaria ou agendar a visita para outro dia.

Não há local para hospedagem na reserva e nem é permitido o acampamento ou esportes radicais.

Regulamento de Reserva

Regulamento de Reserva

REGULAMENTO

cerradao2

A Reserva Natural da Cachoeira do Cerradão é uma RPPN – Reserva Particular do Patrimônio Natural, criada pelo Ibama através da portaria número 92/01, de 16/08/2001. Abrange todo o imóvel de 60 hectares localizado abaixo da cachoeira do Cerradão, no lado oriental do córrego do Cerradão ou Grande. De acordo com a lei, a Reserva tem caráter perpétuo e se destina à preservação da paisagem, flora e fauna. Além de ser moradia dos proprietários, é utilizada para atividades de ecoturismo e educação ambiental. Atividades essas monitoradas pelo Ibama e controladas de acordo com o seguinte regulamento.

01 – Acesso e Administração
O acesso à Reserva Natural da Cachoeira do Cerradão é permitido a qualquer interessado, mediante o pagamento de uma taxa de ingresso e o recebimento de orientação específica na recepção. Preferencialmente, a visita deverá ser monitorada por um guia local credenciado pela administradora, a Tamanduá Ecoturismo.

02 – Guias
O guia local poderá ser livremente escolhido e contratado pelo visitante. Caso solicite e havendo disponibilidade, o visitante poderá ser acompanhado em toda a visita por um guia da própria reserva.

03 – Preços e Isenções
Os ingressos têm preços diferenciados de acordo com o perfil, a quantidade de pessoas ou o local de compra, conforme segue abaixo:

  • R$ 15,00 por pessoa.

Descontos:

  • 10% para compra antecipada de ingressos na Tamanduá Ecoturismo, para clientes da agência;
  • 10% para grupos a partir de 10 pagantes;
  • 20% para grupos a partir de 20 pagantes;
  • 50% para maiores de 65 anos;
  • 50% para crianças menores 6 a 10 anos.

(descontos não cumulativos)

Isenções:

  • Crianças de até 5 anos acompanhadas dos pais ou responsáveis;
  • Jornalistas, pesquisadores e autoridades que comprovem sua condição e estejam a trabalho;
  • Guias locais, guias e motoristas de grupos fechados (máximo de 3 pessoas por grupo).

04 – Pagamento
O pagamento da taxa de ingresso poderá ser feito antecipadamente na sede da Tamanduá Ecoturismo, Av. Vicenti Picardi, nº94 – CEP: 37928-000 – Bela Vista – São Roque de Minas, que emitirá um recibo para apresentação na portaria da Reserva.

05 – Atividades de Esporte e Lazer
Além de caminhadas, serão admitidas na reserva atividades de rapel e tirolesa, monitoradas pela administração e agendadas com antecedência de 24 horas na Tamanduá Ecoturismo mediante regulamento específico.

06 – Restrições

Os visitantes NÃO poderão ingressar na área da Reserva com:

  • Bebidas alcoólicas;
  • Churrasqueiras, equipamentos e instrumentos que se destinem a fazer fogo, cozinhar ou promover eventos festivos;
  • Armas de fogo e facões;
  • Instrumentos de pesca;
  • Equipamentos de camping, rapel, tirolesa ou escalada, exceto com a autorização expressa da Administração.

É proibido:

  • Entrar na Reserva com motocicleta, bicicleta ou a cavalo;
  • Coletar plantas, flores e pedras;
  • Capturar, molestar ou matar animais de qualquer espécie.

Obs.: A coleta de plantas e animais será admitida para fins de pesquisa científica, desde que prévia e formalmente aprovada conjuntamente pelo Ibama e pela Administração.

07 – Número de Visitantes
Não haverá limite de tempo para permanência na Reserva, mas o número de pessoas na área de visitação fica limitado a 60 pessoas, o que eventualmente exigirá espera na recepção. No caso de grupos fechados, esse número poderá ser ampliado a critério da Administração.

08 – Horário de Visitas e Recepção
– Todos os dias: entrada de 8h00 às 16h00 (9h00 e 17h00 no horário de verão), e saída até às 17h00 (18h00 no horário de verão).

09 – Lixo
A Reserva do Cerradão não tem serviços de coleta de lixo nas trilhas. Todo lixo produzido deverá ser entregue na portaria ou levado de volta pelo visitante.

10Situações imprevistas ou omissas neste regulamento serão resolvidas a critério da Administração.

Levantamento Florístico

Levantamento Florístico

LEVANTAMENTO FLORÍSTICO DA RPPN DA CACHOEIRA DO CERRADÃO

São Roque de Minas, MG

Por Mitzi Brandão
Novembro de 1998

A trilha parte de uma área de campo cerrado, com árvores baixas, retorcidas, com baixa diversidade específica, com o estrato maior apresentando altura média entre 3 e 4 m. Ocorrem poucos indivíduos emergentes que ultrapassam esta altura, geralmente situados nas áreas mais aplainadas ou rebaixadas do terreno, onde há uma maior retenção de água.

O estrato arbustivo mostra-se ralo e pouco expressivo, sendo representado por espécies dos gêneros Chamaecrista, Erythroxylum, Stylosanthes, Bauhinia, Eupatorium, Baccharis,Vernonia, etc.. O estrato subarbustivo/herbáceo apresenta-se mais rico, recobrindo, praticamente, todo o solo local, tendo como gêneros mais freqüentes Eremanthus, Oxalis,Marcetia, Irlbachia, Microlicia, Cuphea, Vernonia, Eremanthus e gramíneas pertencentes aos gêneros Paspalum, Ctenium, Mesosetum, Aristida, Andropogon e Axonopus.

Descendo-se a encosta, o campo cerrado torna-se cada vez mais denso, transitando inicialmente para um cerrado e depois para uma mata ciliar estreita. Seguindo-se pela trilha, novamente alcança-se uma área de cerrado, uma pequena parcela de pasto sujo para, finalmente, chegar à mata ciliar do córrego Grande (ou Cerradão), no sopé da cachoeira do Cerradão.

A mata ciliar mostra porte variado (5 a 16 m de altura), com algumas árvores emergentes, apresentando três estratos bem distintos, poucas trepadeiras e epífitas, e um estrato herbáceo muito pouco significativo.

ESPÉCIES IDENTIFICADAS NA TRILHA PERCORRIDA:

Algumas espécies ainda não foram identificadas, sendo que no material coletado não se observa características do gênero. Neste sentido, a numeração dessas espécies deverá ser mantida no campo, e tão logo apresentem material florido, coletar para que se proceda a uma identificação segura. São elas: 16 (infalível); 34 (esquental); 49; 59; 89; 94 (rapadura ) e 101 (quebra–foice), a maioria delas da família MYRTACEAE.

  • N.º 001

Família: LEGUMINOSAE
Subfamília: Caesalpinoideae
Hymenaea stigonocarpa Mart.
Nomes populares: jatobá, jatobá-do-campo, jatobá-do-cerrado.
Usos: o fruto do jatobá, além de poder ser consumido ao natural, pode ter a sua polpa (após secagem e passada em peneira) utilizada na confecção de bolos e bolachas, substituindo, em parte, a farinha de trigo. As suas cascas em infusão são utilizadas no combate de febres; a resina fervida é utilizada no tratamento de cistites.

  • N.º 002

Família: BIGNONIACEAE
Zeyhera digitallis (Vell.) Hoehne
Nomes populares: bolsa-de-carneiro, bolsa-de-pastor
Usos: procurada por psitacídios que se alimentam de suas sementes. Suas cascas são utilizadas como depurativas e suas raízes (banhos) no tratamento de moléstias da pele.

  • N.º 003

Família: LEGUMINOSAE
Subfamília: Faboideae
Bowdichia virgilioides H.B.K
Nomes populares: sucupira, sucupira-preta
Usos: madeira de lei usada em marcenaria de modo geral, muito procurada por abelhas. As favas são utilizadas para tratar gripes e as raízes para diabetes.

  • N.º 004

Família: RUBIACEAE
Sabicea brasiliensis Werhn.
Nomes populares: peidoreira, sangue-de-cristo
Usos: frutinhos comestíveis

  • N.º 005

Família: MYRTACEAE
Myrcia sp
Nomes populares: folha-miúda, maria-preta
Usos: frutinhos para pássaros

  • N.º 006

Família: MELASTOMATACEAE
Miconia albicans (Sw.)Triana
Nome popular: mexerica
Usos: frutinhos para pássaros

  • N.º 007

Família: LEGUMINOSAE
Subfamília: Mimosoideae
Stryphnodendron adstringens (Mart.) Coville
Nomes populares: barbatimão, casca-de-virgem
Usos: cascas para curtume. As cascas também têm propriedades como adstringente, sendo usadas após cozimento para lavar feridas e úlceras .

  • N.º 008

Família: MELASTOMATACEAE
Tibouchina candolleana Cogn.
Nome popular: quaresmeira
Usos: ornamental

  • N.º 009

Família: MELASTOMATACEAE
Miconia macrothyrsa Benth
Nome popular: maria-preta
Usos: não conhecido

  • N.º 010

Família: MELASTOMATACEAE
Miconia paniculata Naud
Nomes populares: maria-pretinha
Usos: não conhecido

  • N.º 011

Família: ANNONACEAE
Xylopia aromatica (Lam.) Mart.
Nome popular: pimenta-de-macaco
Usos: frutos utilizados como condimento para temperar carnes, sendo também carminativos (gases).

  • N.º 012

Família: DILLENIACEAE
Curatella americana L
Nome popular: lixeira
Usos: as suas folhas são utizadas como lixas no polimento de trabalhos em madeira. As cascas são utlizadas na medicina popular, em infusão, para lavar feridas e úlceras.

  • N.º 013

Família: EBENACEAE
Dyospyros brasiliensis Mart.
Nome popular: goiabeira-brava ,caqui-bravo
Uso: não conhecido.

  • N.º 014

Família: MYRTACEAE
Campomanesia guazumaefolia (Camb.) Berg.
Nomes populares: sete-cascas, sete-capotes.
Usos: frutos comestíveis; folhas antidiarréicas.

  • N.º 015

Família: MALPIGHIACEAE
Byrsonima verbascifolia Juss.
Nome popular: murici.
Usos: frutinhos comestíveis e utilizados para aromatizar a cachaça. Cascas antidiarréicas.

  • N.º 016

Família: ???
Nomes populares: infalível
Usos: medicinal (segundo o mateiro José Mário)

  • N.º 017

Família: RUBIACEAE
Rudgea virbunioides (Cham.)Benth.
Nomes populares: congonha-de-bugre, cotó-cotó
Usos: tratamento de reumatismo (cascas)

  • N.º 018

Família: BURSERACEAE
Protium heptaphyllum (Aubl.) Marchand
Nomes populares: amescla, mangueirinha
Usos: para aromatizar o sabão de pedra feito nas fazendas. As cascas são usadas em infusão para lavar feridas e úlceras e a resina, sob a forma de infusão, no tratamento de tosses e dores no pulmão.

  • N.º 019

Família: LEGUMINOSAE
Subfamília: Caesalpinoideae
Acosmium dasycarpon (Vog.)Yak.
Nomes populares: chapadinha
Usos: cercas não permanentes. Na medicina popular é utilizada no tratamento das dismenorréias (menstruações abundantes ).

  • N.º 020

Família: ANNONACEAE
Duguetia furfuracea (St. Hil.) Benth. et Hook
Nomes populares: araticum-abelha, araticum-seco ,jaca-seca
Usos: as raízes são ulilizadas sob a forma de chás no tratamento de dores do estomago; a água das sementes, após fervidas, é usada para o controle de piolhos.

  • N.º 021

Família: MYRTACEAE
Psidium sp.
Nomes populares: pitanguinha
Usos: fruto comestível

  • N.º 022

Família: VOCHYSIACEAE
Qualea grandiflora Mart.
Nomes populares: pau-terra, pau-ferro
Usos: madeira para obras internas. A entrecasca é utilizada, sob a forma de infusão, na limpeza de feridas e úlceras.

  • N.º 023

Família: ASTERACEAE
Gochnatia polymorpha Less.
Nome popular: veludo-branco
Uso: não conhecido

  • N.º 024

Família: SOLANACEAE
Solanum lycocarpum St. Hil.
Nomes populares: lobeira, fruta-de-lobo
Usos: o polvilho extraído de seus frutos (após moagem,lavagem e secagem) é utilizado no tratamento da diabetes.

  • N.º 025

Família: ASTERACEAE
Eremanthus matogrossensis
Nome popular: candeia-do-campo
Usos: não conhecido

  • N.º 026

Família: MYRTACEAE
Myrcia sp
Nome popular: desconhecido
Usos: frutinhos apreciados por pássaros.

  • N.º 027

Família: LEGUMINOSAE
Subfamília: Faboideae
Dalbergia violacea (Vog.) Malme.
Nome popular: caviúna
Usos: madeira de lei. As flores são apreciadas pelas abelhas(melíferas). As cascas são utIlizadas em curtume.

  • N.º 028

Família: ASTERACEAE
Baccharis dracunculifolia D.C.
Nome popular: alecrim
Usos: planta melífera e medicinal (as flores são usadas (Chá) para resfriados

  • N.º 029

Família: MELASTOMATACEAE
Miconia stelegira Cogn.
Nome popular: maria-preta
Uso: frutinhos para pássaros

  • N.º 030

Família: LEGUMINOSAE
Subfamília: Caesalpinoideae
Bauhinia rufa Steud.
Nomes populares: unha-de-boi, mororó(planta forrageira ).
Usos: forrageira.

  • N.º 031

Família: ANNONACEAE
Annona crassiflora Mart.
Nome popular: cabeça-de-nego araticum,marolo,ponhã.
Usos: fruta saborosa ao natural, podendo ser usada para Fabricar licores e doces. Sementes antidiarréicas.

  • N.º 032

Família: MELASTOMATACEAE
Miconia cinerascens Miq.
Nome popular: casca-de-arroz
Usos: frutinhos para pássaros

  • N.º 033

Família: MYRISTICACEAE
Virola sebifera Aublet.
Nomes populares: pindaíba, bicuíba
Usos: madeira para cercas rústicas .Folhas usadas como diuréticas.

  • N.º 034

Família: ????
Nome popular: esquental
Uso: afrodisíaco (segundo o mateiro José Mario)

  • N.º 035

Família: PROTEACEAE
Roupala montana Aubl.
Nomes populares: carne-de-vaca
Usos: madeira para obras rústicas. As cascas, sob a forma de infusão, são utilizadas para limpeza de feridas e úlceras.

  • N.º 036

Família: BIGNONIACEAE
Tabebuia vellosoi Tol.
Nome popular: ipê-amarelo
Usos: madeira de lei. As cascas e flores são apreciadas por veados. Ornamental.

  • N.º 037

Família: VOCHYSIACEAE
Vochysia tucanorum Mart.
Nomes populares: vinhático, pau-de-tucano
Uso: a goma exsudada nos troncos e galhos é apreciada pelos macacos.

  • N.º 038

Família: BIGNONIACEAE
Tabebuia serratifolia (Vahl.) Nichols
Nomes populares: ipê-da-folha-denteada, ipê-da-mata
Usos: madeira de lei. A entrecasca é utilizada como diurética. Ornamental.

  • N.º 039

Família: BOMBACACEAE
Subfamília:
Pseudobombax longiflorum (Cav.) Robyns
Nome popular: paineira
Usos: madeira para caixotaria. As painas são utilizadas para encher travesseiros. Ornamental.

  • N.º 040

Família: HIPPOCRATEACEAE
Sallacia elliptica (Mart.) G. Don.
Nome popular: bacupari
Uso: frutos comestíveis

  • N.º 041

Família: LEGUMINOSAE
Subfamília: Caesalpinoideae
SCLEROLOBIUM PANICULATUM Benth.
Nome popular: angazeiro
Usos: madeira para caixotaria

  • N.º 042

Família: LYTHRACEAE
Lafoensia glyptocarpa Koehne
Nome popular: dedaleiro
Usos: ornamental. Cascas usadas no tratamento de varizes.

  • N.º 043

Família: LOGANIACEAE
Strychnos brasiliensis (Spreng ) Mart.
Nome popular: quineira
Usos: antifebrífuga(cascas).

  • N.º 044

Família: ARECACEAE
Syagrus romanzoffianum (Cham.) Glassm.
Nome popular: coco baboso,coco -catarro
Usos: frutos comestíveis, muito apreciados por pássaros, servindo ainda para a Fabricação de licores.

  • N.º 045

Família: LEGUMINOSAE
Subfamília: Faboideae
Machaerium acutifolium Vog.
Nome popular: jacarandá
Usos: madeira de lei, sevindo para a Fabricação de móveis,peças artesanais.

  • N.º 046

Família: RUTACEAE
Zanthoxylum rhoifolium Lam.
Nome popular: mamica-de-porca
Usos: madeira usada para caixotaria e cascas em curtume. Como medicinal de uso popular tem suas cascas empregadas, sob a forma de infusão, para dores no estômago.

  • N.º 047

Família: TILIACEAE
Luehea grandiflora Mart. et Zucc.
Nome popular: açoita-cavalo
Uso: madeira usada para coronhas de armas, cabos de ferramentas

  • N.º 048

Família: LYTHRACEAE
Lafoensia pacari St.Hil.
Nome popular: pacari
Usos: a casca é utilizada no tratamento de varizes; as folhas são diaforéticas (provocam o aparecimento do suor).

  • N.º 049

Família: ????
Nome popular: desconhecido
Usos: ???

  • N.º 050

Família: RUBIACEAE
Bathysa australis Hook.
Nome popular: folha-grande
Usos: hipotensora (usada para abaixar a pressão arterial)

  • N.º 051

Família: LAURACEAE
Cryptocarya archersoniana Mez.
Nome popular: canela-de-velha
Uso: madeira de lei , própria para obaras internas

  • N.º 052

Família: MORACEAE
Ficus insipida Willd.
Nomes populares: gameleira, figueira
Usos: utilizada na Faboideaericação de gamelas e colheres.

  • N.º 053

Família: LEGUMINOSAE
Subfamília: Faboideae
Pterogyne nitens Tul.
Nome popular: jacarandazinho, madeira-nova
Usos: obras internas, marcenaria em geral

  • N.º 054

Família: MYRTACEAE
Psidium guajava L.
Nome popular: goiabeira
Usos: frutos comestíveis e utilizados na confecção de doces, geléias e licores. Folhas novas tidas como antidiarréicas.

  • N.º 055

Família: MYRTACEAE
Eugenia sp
Nome popular: cambuí
Uso: frutos comestíveis.

  • N.º 056

Família: LEGUMINOSAE
Subfamília: Mimosoideae
Enterolobium contortisiliquum (Vell.) Morong.
Nome popular: tamboril
Usos: confecção de gamelas. As favas são abortivas para o gado.

  • N.º 057

Família: LEGUMINOSAE
Subfamília: Faboideae
Machaerium angustifolium Vog
Nome popular: jacarandá-de-espinho
Usos: obras de entalhe; as cascas são utilizadas para curtume.

  • N.º 058

Família: MELIACEAE
Guarea sp
Nome popular: guaribeia
Usos:

  • N.º 059

Família: MYRTACEAE
Nome popular: catiguá de leite
Usos: desconhecido

  • N.º 060

Família: COMBRETACEAE
Terminalia brasiliensis Camb.
Nome popular: maria-preta
Usos: planta melífera; a madeira é utilizada para obras internas.

  • N.º 061

Família: STERCULIACEAE
Helicteres sacarolha St. Hil.
Nome popular: sacarolha
Usos: ornamental. Folhas usadas como antidiarréicas.

  • N.º 062

Família: LEGUMINOSAE
Subfamília: Faboideae
Platycyanus regnelli Benth.
Nome popular: pau-pereiro
Usos: madeira de lei, marcenaria em geral e obras internas.

  • N.º 063

Família: LEGUMINOSAE
Subfamília: Mimosoideae
Acacia polyphylla D.C.
Nome popular: monjoleiro
Usos: madeira para caixotaria ,obras transitórias.

  • N.º 064

Família: BIGNONIACEAE
Jacaranda puberula Cham.
Nome popular: caroba
Usos: as cascas são utilizadas como depurativas do sangue

  • N.º 065

Família: LEGUMINOSAE
Subfamília: Caesalpinoideae
Hymenaea courbaril var. stilbocarpa
Nome popular: jatobá-da-mata
Usos: madeira de lei. Os frutos podem ser consumidoS ao natural, e podem ter a sua polpa (após secagem e passada em peneira) utilizada na confecção de bolos e bolachas, substituindo, em parte, a farinha de trigo. As suas cascas em infusão são utilizadas no combate de febres; a resina fervida é utilizada no tratamento de cistites.

  • N.º 066

Família: MORACEAE
Ficus sp
Nomes populares: gameleira, figueira.
Usos: confecção de gamelas, colheres e moldes para sapatos

  • N.º 067

Família: ARALIACEAE
Dendropanax cuneatum
Nome popular: falsa paineira
Usos: caixotaria

  • N.º 068

Família: CLUSIACEAE
Callophyllum brasiliensis Camb.
Nome popular: jacareúba
Usos: canoas, obras internas, assoalhos,etc .O chá feito com suas raizes é utilizado para banhos, em caso de hemorróidas.

  • N.º 069

Família: LEGUMINOSAE
Subfamília: Mimosoideae
Inga marginata Wiild.
Nome popular: ingá feijão
Usos: fruta para passarinhos

  • N.º 070

Família: MORACEAE
Maclura tinctoria (L.) D.Don. ex Steud.
Nome popular: moreira ,tatajuba,amarelinho
Usos: madeira para obras hidraúlicas, como rodas de engenhos, monjolos,etc.

  • N.º 071

Família: SOLANACEAE
Solanum cernuum St. Hil.
Nome popular: panacéia
Usos: planta medicinal para males do estômago.

  • N.º 072

Família: MELIACEAE
Cedrela fissilis Vell.
Nome popular: cedro
Usos: madeira de lei ,móveis, tacos, assoalhos, portas, janelas.

  • N.º 073

Família: LECYTHIDACEAE
Cariniana estrellensis (Raddi )Kuntze
Nome popular: jequitibá-branco
Usos: madeira de lei, própria para móveis, obras internas e marcenaria em geral.

  • N.º 074

Família: ARECACEAE (PALMAE)
Euterpe edulis Mart.
Nome popular: palmito
Usos: broto comestível

  • N.º 075

Família: VERBENACEAE
Aegiphilla sellowiana Cham.
Nome popular: pão-de-ló ,fruta de papagaio
Usos: frutos apreciados por psitacídios

  • N.º 076

Família: EUPHORBIACEAE
Croton piptocalyx Muell. Arg.
Nome popular: sangria-d’água
Usos: madeira para caixotaria.

  • N.º 077

Família: ASTERACEAE
Vernonia polyanthes Less.
Nome popular: assa-peixe
Usos: as flores, além de serem melíferas, são utilizadas em xaropes para tosse.

  • N.º 078

Família: BIGNONIACEAE
Pyrostegia venusta Miers.
Nome popular: cipó-de-são-joão
Usos: ornamental, iniciando a sua floração no mês de junho, daí o seu nome.

  • N.º 079

Família: MYRSINACEAE
Rapanea guianensis Aubl.
Nomes populares: poroca, caporoca
Usos: planta melífera; as cascas são utilizadas para curtume.

  • N.º 080

Família: LEGUMINOSAE
Subfamília: Caesalpinoideae
Peltophorum dubium (Spreng.)Taub.
Nome popular: canjica , cambuí, farinha seca
Usos: empregada em paisagismo; produz muitas sementes e apresenta fácil germinação.

  • N.º 081

Família: COMBRETACEAE
Terminalia argentea Mart. et Zucc.
Nome popular: capitão
Usos: empregada na construção civil, servindo para caibros, ripas, taboados, etc.

  • N.º 082

Família: LAURACEAE
Cryptocarya archersoniana Mez.
Nome popular: canela-batalha
Usos: madeira de lei, empregada em obras internas, vigas, caibros, táboas,etc.

  • N.º 083

Família: MELIACEAE
Guarea guidonea (L.)Sleumer
Nome popular: marinheiro
Usos: construção civil e naval, carpintaria em geral.

  • N.º 084

Família: MONIMIACEAE
Siparuna guianensis Aubl.
Nome popular: negamina
Usos: em indústria de cosméticos (perfumaria).

  • N.º 085

Família: LEGUMINOSAE
Subfamília: Faboideae
Ormosia arborea (Vell.) Harms.
Nome popular: olho-de-cabra, tento
Usos: os frutos são utilizados para contar os pontos em jogos de baralho ou marcar as cartelas no jogo de víspora.

  • N.º 086

Família: CECROPIACEAE
Cecropia pachystachia Tréc.
Nomes populares: embaúba, umbaúba
Usos: os brotos são utilizados para o controle da pressão arterial.

  • N.º 087

Família: MORACEAE
Brosimum gaudichaudii Tréc.
Nome popular: mama-cadela
Usos: no tratamento do vitiligo (despigmentação da pele).

  • N.º 088

Família: PROTEACEAE
Roupala heterophylla Pohl.
Nome popular: carne-de-vaca
Usos: madeira para obras transitórias. As cascas, após cozidas, são utilizadas para lavar feridas e úlceras.

  • N.º 089

Família: ???
Nome popular: aperta-mão
Usos: ???

  • N.º 090

Família: EUPHOBIACEAE
Hieronima sp
Nome popular: frieira
Usos: no tratamento de moléstia de pele (banhos).

  • N.º 091

Família: LECYTHIDACEAE
Cariniana legalis (Mart.)Kuntze.
Nome popular: jequitibá-rosa
Usos: madeira de lei usada na confecção de móveis, portas, j anelas e venezianas.

  • N.º 092

Família: BIGNONIACEAE
Tabebuia roseo-alba (Rich.) Cham.
Nome popular: ipê-branco
Usos: madeira de lei, própria para obras externas, dormentes e tacos. As flores são apreciadas por veados.

  • N.º 093

Família: BIGNONIACEAE
Tabebuia avellanedae Lor. ex Griseb.
Nome popular: ipê-rosa
Usos: madeira de lei, própria para obras externas, moirões, pontes e dormentes.

  • N.º 094

Família: ???
Nome popular: rapadura
Usos:

  • N.º 095

Família: GLEICHENIACEAE
Gleichenia bifida (W.) Spr.
Nome popular: rabo-de-cão
Uso: arranjos florais

  • N.º 096

Família: DILLENIACEAE
Davilla rugosa St. Hil.
Nome popular: cuitezinho, cipó-caboclo
Usos: em banhos, no tratamento das orchites e inflamação da bexiga

  • N.º 097

Família: BIGNONIACEAE
Tabebuia ochracea (Cham.) Standl.
Nome popular: ipê-cascudo, ipê-do-cerrado
Usos: madeira para pequenas peças e torneados.

  • N.º 098

Família: MYRTACEAE
Psidium sp
Nome popular: araçá
Uso: frutos comestíveis

  • N.º 099

Família: LYTHRACEAE
Diplusodon virgatus Pohl.
Nome popular: cai-cai
Usos: não conhecido

  • N.º 100

Família: MALPIGHIACEAE
Byrsonima intermedia Juss.
Nome popular: murici-miúdo
Usos: frutos comestíveis, servindo para aromatizar a cachaça. As cascas são antidiarréicas.

  • N.º 101

Família: ???
Nome popular: quebra-foice
Uso: desconhecido. A madeira é extremamente dura, daí o seu nome.

Veja também:

 

download  Mamíferos e Aves da RPPN da Cachoeira do Cerradão

Central de Reservas

A Reserva Natural da Cachoeira do Cerradão é administrada pela Tamanduá Ecoturismo.

Telefones: +55 37 3433-1452 / +55 37 3433-1332

Horários de atendimento:

  • segunda a sexta, das 8h00 às 20h00;
  • aos sábados, das 8h00 às 16h00.


atendimento-informacoes
atendimento-skype
atendimento-reserva
atendimento-whatsapp

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *